Sobre

Saltar para: Zonas | História | Equipa

A Horta da Partilha está localizada nos terrenos de uma antiga quinta agrícola, privada, com mais de 15 anos de pousio. Inserida num terreno com uma área total de cerca de 3.500 metros quadrados, o tipo de agricultura praticado nesta horta comunitária não é exclusivo: à luz dos princípios da permacultura, combinamos diferentes técnicas agrícolas, que vão desde a agricultura natural à biointensiva.

Na Horta da Partilha não é permitido o uso de agrotóxicos, Organismos Geneticamente Modificados (OGM) e outras práticas que se entendam como agressivas para o ecossistema existente.

Missão: Praticar a agroecologia num contexto urbano.

Objectivos

  1. Cultivar, preservar, regenerar.
  2. Resgatar alimentos tradicionais.
  3. Desenvolver o conceito original de agricultura de transição combinando diferentes técnicas agrícolas (biointensiva, biodinâmica, regenerativa, biológica, natural, etc).
  4. Expressar o potencial produtivo de baldios urbanos.
  5. Criar um espaço de demonstração e experimentação à luz dos princípios da permacultura.
  6. Desenvolver actividades pedagógicas sobre permacultura.
  7. Potenciar a viabilidade económica de um projecto de transição agroecológica.
  8. Promover a partilha de conhecimentos entre diferentes projectos de agricultura urbana.
  9. Influenciar a criação de políticas públicas para a agricultura urbana.

Visão: A soberania alimentar como uma realidade local.

Zonas

Guiada pelos princípios da permacultura, a Horta da Partilha é composta por vários elementos naturais e está organizada nas seguintes zonas:

  • Zona 0 – Casa + Eira
  • Zona 1 – Hortas, aromáticas e galinheiros
  • Zona 2 – Pomar
  • Zona 3 – Cultivos de pouca extensão
  • Zona 4 – Culturas extensivas

História

A Horta da Partilha foi fundada pela Sara Alves, em 2012, com o objectivo de construir um espaço experimental comunitário, onde as pessoas interessadas pudessem trabalham em prol do todo, partilhar conhecimentos e experiências agrícolas e desfrutar do espaço de forma a preservá-lo, tal como aos seus recursos. Foram desenvolvidas acções de formação e um conjunto de pessoas dinamizou as actividades agrícolas.

No início do ano 2015, a Sara Alves convidou os membros da AMEP (Associação para a Manutenção da Economia de Proximidade) da associação Moving Cause a participarem na Horta. Assim nasceu o grupo Hortários, que teve como propósito juntar os produtores que estivessem interessados em produzir hortícolas, de forma a assegurar o seu fornecimento a esta rede de produção e consumo (rede de “prossumidores”).

Este grupo ficou responsável pela produção de hortícolas na zona das hortas (zona 1), segundo os princípios do tipo de agricultura já praticado. Os trabalhos foram realizados de modo independente, por todos os participantes, com o apoio organizativo da Filipa Almeida.

Em Janeiro de 2015 foi realizado o primeiro dia de trabalhos na horta com todos os interessados: preparação das camas (cobertura e delimitações) e plantações; e em Junho realizou-se a 1ª Assembleia dos Hortários. De forma a normalizar os trabalhos entre todos, em Junho desse ano foi criada a Carta de Princípios da Horta da Partilha. Em Novembro de 2015 realizou-se a última assembleia.

Ver mais informação histórica no website da Moving Cause.

Equipa

Anúncios